free web site builder

Pedro Henriques

Pedro Henriques, Diretor de Recursos Humanos, Siemens

Pedro Henriques não gosta particularmente da expressão RH4.0. Prefere Gestão de Pessoas 4.0, um conceito ainda em desenvolvimento, mas que vai arrastar modelos de trabalho e de gestão de pessoas associados ao novo modelo de produção da indústria. “A emergência da indústria é feita com a emergência de modelos de trabalho e formas de organização e essas formas de organização em muitos pontos fazem ruptura com aquilo que nós aprendemos ao longo de décadas, mais concretamente nos últimos 150 anos, desde a Revolução Industrial do século XIX”.
Os primeiros passos da mudança para uma economia mais tecnológica, mas também mais colaborativa já estão a ser dados no mundo. O novo paradigma, por contraponto ao modelo do horário certo, baseado no binómio: entidade empregadora e trabalhadores, que devem obediência hierárquica – é uma realidade, já. “A linha de produção e a repetição de tarefas pertencem ao passado. Agora há objetivos”. Além disso, os millennials, tanto estão disponíveis às três da tarde como às 10 da noite… é indiferente! “Têm um projeto, kow how, conhecimento, sabem o que têm a fazer… Cada vez mais, vão ser profissionais liberais.
O trabalho está a ser desligado do lugar físico. Na Siemens, atualmente já existe o home office ou teletrabalho na sua forma mais pura. “O desafio é nós (sociedade) culturalmente sabermos dar este passo. Vamos demorar algum tempo, mas vamos dá-lo”, diz. Não será ao mesmo tempo em todo o lado. Mas esse é o caminho. Inexorável.
A Siemens tem como objetivo formar e requalificar todos o que querem abraçar a indústria 4.0 e adequá-los às suas necessidades. A formação contínua é um dos principais focos da empresa, que juntamente com a Volkswagen Autoeuropa, a Bosch e a Câmara de Comércio Luso-Alemã fundou, em 2003, a academia de formação ATEC, que já treinou 4.000 estudantes, nos últimos anos. Além disso, tem trabalhado na requalificação, especialmente na área das tecnologias de informação. Como exemplo desta estratégia, destacam-se os programas Qua IT, que visa requalificar 200 pessoas com diplomas universitários para a área de TI e a especialização em administração SAP, lançada com a ATEC. Com as universidades, referência para a parceria, de longa data, com o Instituto Politécnico de Leiria e o Instituto Superior Técnico.